Saiba o que as marcas avaliam para selecionar a revenda

Localização, tempo de mercado, histórico de pagamento são requisitos para compor a carteira de multimarcas

.ihc-locker-wrap{}

Conteúdo exclusivo para cadastrados

Se você já é cadastrado, faça seu login:

>

 

Os critérios para montar uma carteira de lojas revendedoras variam conforme o canal de vendas utilizado. Os representantes funcionam como filtros de um processo que avalia localização, tempo de mercado, imagem da loja, outras marcas com as quais a multimarcas trabalha, o tipo de consumidor que atende e poder de compra da loja. Já as exigências na pronta-entrega envolvem, em geral, documento de empresa constituída (CNPJ, por exemplo) e quantidade mínima de compras.

 

Marcas como a capixaba MissBella ou a catarinense City Blue só trabalham com clientes que tenham no mínimo dois anos de mercado. Todas analisam a saúde financeira do lojista, especialmente para concessão de prazos de pagamento. “Temos um departamento profissionalizado que trabalha com as mesmas práticas do sistema bancário para aprovar o cliente”, resume Paulo Vieira, diretor da MissBella.

 

 

 


Critérios de seleção
~ Lojas que vendam marcas alinhadas com o estilo proposto, em termos de público-alvo e preço

~ Lojas bem posicionadas em relação a mercado e localização

~ Pontos em regiões de interesse da marca

~ Multimarcas com boa imagem em sua região

~ Lojas que vendam, ao menos, duas marcas de ponta

~ Preferência por regiões onde não haja outra revendedora da marca, a menos que sejam do mesmo proprietário

~ Lojas com boa saúde financeira

~ Pontos em regiões de bom índice de potencial de consumo

~ Lojas que comprem grandes volumes de peças

~ Multimarcas com bom mix de produtos

~ Lojas tradicionais, no sentido de estarem no mercado há, pelo menos, cinco anos

 

 

 

 

 

 

foto: GBLjeans

[/ihc-hide-content]