Alta dos preços da indústria perde a força

Estudo do IBGE revela que houve recuo de 0,66%, em maio, para produtos têxteis, a primeira queda em 12 meses

Em maio, o Índice de Preços ao Produtor (IPP), calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que os preços industriais no setor de produtos têxteis caíram ligeiramente, 0,66%, em relação a abril. É a primeira variação negativa registrada nos últimos 12 meses, de acordo com os resultados do estudo apresentado pelo IBGE nesta semana.

Ainda assim o acumulado do período de 12 meses registra alta de preços de 25,70%, uma das maiores variações de preços entre todos os setores analisados. De janeiro a maio de 2011, o índice acumula alta de 10,67%, informa o estudo. A inversão de maio no setor têxtil é atribuída pelos analistas do IBGE à queda recente do preço do algodão.

A alta dos preços do setor de artigos de vestuário, avaliado em conjunto com acessórios, perdeu a força em maio. O índice cresceu discretamente, em 0,42%, quando comparado a abril, mas ficou bem abaixo do desempenho da indústria têxtil quando observada a série histórica do estudo. No período de 12 meses, o aumento neste setor totalizou 7,63%. O acumulado de janeiro a maio revela reajuste de preços de 5,52%.

No geral, o IPP dos 23 setores da indústria de transformação analisados pelo IBGE recuou 0,55%, em relação abril, enquanto o acumulado do ano até maio ficou em 1,13%.